Os hábitos influenciam no uso de óculos de sol

A relação passiva que as crianças têm com seus óculos de proteção UV é motivo
de preocupação. Em uma pesquisa recente, mais de um terço das crianças
apresentaram sintomas devido à exposição prolongada aos raios UV, como
irritação nos olhos (16%), dificuldade para enxergar (14%) e olhos vermelhos ou
inchados (7%). Os hábitos dos americanos provavelmente são os culpados –
muitas pessoas estão usando óculos de sol apenas quando estão fora por duas
ou mais horas (39%), embora os danos possam começar em menos de 15
minutosi. Além disso, as atividades nas quais a proteção UV-ocular é vital
geralmente são realizadas com os olhos expostos – apenas 14% dos americanos
tendem a usar óculos de sol enquanto assistem a um evento esportivo ao ar livre
e apenas 44% provavelmente usam óculos de sol na praia.
Oculos com filtro de luz azul benéfico
As prioridades na
seleção de tons também parecem distorcidas.
Os americanos colocam conforto (65%) e acessibilidade (54%) antes da
proteção UV (44%). Verificar o rótulo para garantir que os óculos de sol sejam
protetores UVA/UVB deve ser a consideração mais importante na escolha de um
par de tons, em vez do tipo ou cor da lente. Mais de 40% dos americanos
acreditam que óculos de sol mais escuros fornecem melhor proteção UV, embora
a proteção UV não tenha nada a ver com a escuridão ou a cor.
O que é particularmente notável é que os americanos veem sua visão como
tendo o maior impacto em sua vida cotidiana – mais do que outros sentidos ou
habilidades cognitivas, incluindo perda de audição e memória.